O famoso e seu gosto por crenças minoritárias

às vezes, talvez por sentir especial, celebridades de Hollywood e a indústria recorde parecer obcecada mostrando quão diferentes são sobre o resto do mortal Eles são excêntricos, eles têm hobbies estranhos, procuram nome exótico – e às vezes ridículo – para seus filhos e mesmo ao escolher uma religião parecem procurar a minoria, menos conhecida ou mais extravagante.

O culto mais conhecido entre as estrelas celulós é a popular igreja de Scientology, nascida em 1952 como filosofia secular, mas depois reconvertida em religião – cetectas em alguns países – para pessoas com altas possibilidades econômicas. Entre os membros mais conhecidos da Scientology são Tom Cruise, John Travolta, Smith e seus respectivos exparejas, Katie Holmes, Kelly Preston e Jada Pintett, além da atriz Kristie Beco, que era um companheiro de tráfico à vista.

Os seguidores desta religião, que muitos acusam de ter uma meta mais comercial do que espiritual, acreditam na origem extraterrestre dos seres humanos e defender uma série de práticas que em teoria levam à melhoria pessoal e à busca de felicidade.

A congregação cristã das Testemunhas de Jeová, que se define como uma restauração do cristianismo primitivo, tem entre seus fiéis com alguns seguidores bem conhecidos, como a Toya Jackson (assim como o irmão Michael), o tênis. Os jogadores Vênus e Serena Williams e Príncipe, que se recusaram a passar por várias operações de quadril, porque exigiram uma transfusão de sangue, uma prática proibida por sua religião.

Madonna, que já praticava várias religiões e que parece que agora está se aproximando da Opus Dei, é conhecido por ser um grande seguidor da Cabalá, uma tradição judaica que busca o significado do mundo e da verdade Através da interpretação mística e alegórica da Torá, os primeiros cinco livros da Bíblia cristã, também conhecidos como Pentateuch. Entre as celebridades que declararam seu interesse em Cabalá são Demi Moore e Ashton Kutcher, Victoria Beckham e Paulina Rubio.

O mormonismo ou movimento dos santos dos últimos dias, apesar de ter uma grande aceitação nos Estados Unidos, não tem grandes representantes dentro do mundo do entretenimento. Dois nomes se destacam, o mestre da animação Don Bluth (em busca do vale encantado, Anastasia, Titan Ae) e as flores Brandon, o vocalista de os assassinos, que em 2011 fizeram um vídeo para a campanha que eu sou mórmon ( Eu sou Mórmon).

No meio do caminho entre a religião e a doutrina filosófica, o budismo também atraiu um grande número de celebridades. O mais famoso budista de Hollywood é Richard Gere, defensor ativo dos direitos humanos no Tibete, mas não é o único. Eles também buscam a paz espiritual através dessa adoração, os cantores Tina Turner e Alanis Morissette, o Golfista Tiger Woods, o ator Orlando Bloom e seu Exmux, o modelo Miranda Kerr.

Keanu Reeves, apesar de ter declarado uma pessoa não religiosa, ele também afirmou um grande interesse pelo budismo. Na Espanha, Penelope Cruz disse em várias ocasiões que a religião com o que é mais identificada é com o budismo “, como a filosofia que parece mais respeitosa com todos.”

No entanto, nem sempre é elitista ou ar exclusivo, o que leva o famoso a cair na prática de certos cultos. Michelle Pfeiffer acaba de revelar que sua chegada em Hollywood com apenas 20 anos não era o que ela esperava e que a solidão a conduziu a confiar em pessoas inalativadas. Naqueles primeiros anos, a atriz encontrou um casal que achava que eram treinadores pessoais, mas no final eles acabaram sendo membros de uma seita que acreditava na respiração, uma filosofia que consiste em aprender a sobreviver sem comer ou beber.

Eles se encontraram periodicamente e até mesmo precisavam pagar pelos serviços que ofereciam durante o culto, que “drenam economicamente”. Graças a que ele começou a rolar um filme sobre uma seita, Pfeiffer percebeu que ela fazia parte de um.

Menos opção ainda tinha o rio Phoenix quando fazia parte da seita dos filhos de Deus, já que ele só tinha três anos quando sua família aderiu a este culto de profecias apocalípticas. Os pais do rio deixaram este círculo religioso há alguns anos mais tarde desapontados com a falta de apoio financeiro e escandalizado por práticas sexuais incluídas nos ritos, onde foi incitada até à pedofilia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *